LinguamáticaRevista para o Processamento Automático das Línguas Ibéricas

linguamatica1

A Linguamática, Revista para o Processamento Automático das Línguas Ibéricas, está aberta à receção de artigos para um novo volume.
Os artigos serão publicados eletronicamente e colocados à disposição da comunidade científica com licença Creative Commons.

Temas de interesse:
* Morfologia, sintaxe e semântica computacional
* Tradução automática e ferramentas de ajuda à tradução
* Terminologia e lexicografia computacional
* Síntese e reconhecimento da fala
* Extração/recolha de informação
* Resposta automática a perguntas
* Linguística de corpus
* Bibliotecas digitais
* Avaliação de sistemas de processamento de linguagem natural
* Ferramentas e recursos públicos ou cooperativos
* Serviços linguísticos na rede
* Ontologias e representação do conhecimento
* Métodos estatísticos aplicados à língua
* Ferramentas de apoio ao ensino de línguas

Envio de artigos

Os artigos devem ser enviados em PDF utilizando o sistema
electrónico da revista (http://www.linguamatica.com/). Embora o
número de páginas dos artigos seja flexivel, sugere-se que não
excedam as 20 páginas. Os artigos devem ser devidamente
identificados. Do mesmo modo, os comentários dos membros do
comité científico serão devidamente assinados.

Os artigos deverão ser escritos em português, galego, castelhano,
catalão, basco ou inglês. Contudo, convidam-se os autores a
apresentar as suas contribuições numa das línguas da Península
Ibérica sempre que tal seja possível.  Só serão publicados
artigos em inglês quando nenhum dos autores tiver competencia
linguística numa das línguas preferidas da revista (ou seja,
português, galego, castelhano, basco ou catalão) e sempre que os
editores considerem o artigo relevante para a ser publicado na
revista.

Os artigos têem de seguir o formato da revista. Existem modelos
LaTeX, Microsoft Word e OpenOffice.org na página da Linguamática
(http://www.linguamatica.com/).

Datas importantes
* Envio de artigos até: 30 de abril de 2013
* Resultados da selecção até: 15 de maio de 2013
* Versão final até: 31 de maio de 2013
* Publicação da revista: junho de 2013

A informação sobre os Editores e a Comissão Científica da Linguamática encontra-se aqui.

Contacto
Para qualquer questão deve dirigir-se a: editores@linguamatica.com

Anúncios

Manual de Moodle

6 Maio 2008

Anibal de la Torre oferece-nos um manual de Moodle (versão 1.8), plataforma de e-learning livre (em que também publicámos o curso Português para nós).

Todo o material está elaborado sob licença Creative Commons.

imagem: http://moodle.org/

arte.observatorio.info

7 Dezembro 2007

Observatorio.info. Uma obra de arte diária.
arte.observatorio.info tenciona ser um ponto de encontro diário para curiosos, amantes e conhecedores da arte. Cada dia é apresentada uma obra nova, em que se incluirão detalhes dos elementos mais representativos, para ajudar a compreender melhor a mesma:

Via: Bitácora de Aníbal de la Torre > Pon una obra de arte al día en tu vida, o en tu web

“Free Access To All Human Knowledge”

Um apelo em vídeo (legendado em português) do fundador da Wikipedia, Jimmy Wales

Descargas da Internet

30 Novembro 2007


Leio em ELPAIS.com:
As grandes cadeias de televisão tornam rentáveis as descargas de séries na Internet A publicidade nas webs da ABC, CBS, NBC e Fox gerou 81 milhões de euros, segundo FT.
As descargas de programas de televisão da Internet geraram receitas de perto de 120 milhões de dólares (81,2 milhões de euros) aos quatro principais meios de comunicação estado-unidenses neste ano, segundo publica Financial Times.

Os peritos prevêem que a publicidade nestes sítios web continue a crescer de maneira exponencial uma vez que os reclamos interactivos têm melhores ratios de conversão do que os reclamos de televisão. [A consultora] Accustream afirma que um reclamo tem uma resposta de 85% face às ratios de apenas um dígito que costuma atingir um reclamo na televisão.”

Fonte: Las grandes cadenas de televisión hacen rentable las descargas de series en Internet

Será que as grandes discográficas (e não só) não sabem mesmo que o seu modelo de negócio se tornou obsoleto?
Mesmo sabendo que outros modelos baseados em descargas da Internet podem ser viáveis, não haverá interesse em manter este clima de incerteza sobre a partilha de coisas na rede?
Ganham tempo para ir preparando novos modelos de negócio e, ao mesmo tempo, espremem até à última gota o modelo em agonia (como no negócio do petróleo) e evitam que se consolidem outros modelos de difusão e partilha da conteúdos culturais em que a margem de negócio poderia reduzir-se drasticamente (para estas companhias, não para os autores).
Estaremos perante um caso de FUD (“Fear, Uncertainty and Doubt”), como estratégia de marketing?
Por outro lado, há qualquer coisa aqui que lembra a estratégia de Microsoft, que ao “permitir” piratear os seus sistemas operativos, acabou a meio prazo por praticamente ganhar a exclusividade do negócio (isto é, por tornar-se um monopólio).
Fonte da imagem: El blog de Enqrique Dans > Microsoft da diez razones por las que las empresas no deben usar Google Apps

Wikipedia: "Access Denied"

29 Novembro 2007

Começam a proibir a Wikipédia em universidades e em escolas de ensino médio dos EUA.
No passado dia 21 de Novembro, o sítio de notícias The Seattle Times difundiu que, pelo menos em duas escolas secundárias e numa universidade, tinha sido proibido o acesso à enciclopédia electrónica Wikipedia. Os alunos o os professores que tentavam entrar no sítio deparavam-se com a mensagem “Just Say ‘No’ to Wikipedia” (Diz Não à Wikipédia) inspirada no slogan que popularizou Nancy Reagan para os jovens rejeitarem o uso de drogas.”

Carlos Martínez, La Wikipedia empieza a ser prohibida en universidades y centros de enseñanzas medias de EEUU, em Rebelión
Via: fírgoa
(tradução minha)

Já faço parte do projecto Distributed Proofreaders (obrigado, Alberto Simões, da Universidade do Minho, pelo empurrão inicial)

Este projecto possibilita digitalização de livros no Domínio Público graças ao trabalho de voluntários, que podem rever tão regular ou raramente quanto o desejarem, e quantas páginas quiserem.

Em que consiste o trabalho?
“Quando um revisor escolhe rever uma página de um dos livros, o texto e a imagem da página são-lhe apresentadas numa única página web. Isto permite que o texto seja facilmente corrigido e comparado à imagem da página, auxiliando a revisão. O texto editado é submetido de novo para o sítio através da mesma página web em que foi editado. O trabalho submetido é apresentado a um segundo revisor em conjunto com a imagem da página. Uma vez verificado o trabalho do primeiro revisor e corrigido qualquer erro, o texto da página é submetido novamente. Uma vez que todas as páginas de um determinado livro tenham sido processadas, um editor junta as peças, formata-as de acordo com as regras do Projecto Gutenberg para e-books e submete ao Projecto Gutenberg para arquivo.” (do Sítio do Distributed Proofreaders Europe).
%d bloggers like this: