Documentários

23 Janeiro 2014

Uma seleção de documentários sobre:

– Propriedade intelectual, direitos de autor, cópia, remix, plágio, patentes, software e cultura libre;
– História da informática e da Internet;
– Análise crítica de Internet e das tecnologias;
– Pensamento crítico, cepticismo, ciência, crenças e religião.

Fonte: Ricardo Galli > Diario Turing > Documentales para seducir

Captura de tela 2014-01-23 10.32.56

Pensamento crítico, cepticismo, ciência…:

Queerer than we can suppose: the strangeness of science, de Richard Dawkins  (legendado em Português)

Why Are We Here?, Richard Dawkins (legendado em espanhol)

The Genius of Charles Darwin    (legendado em espanhol)

The Root of All Evil: The God Delusion, de Richard Dawkins.

The Root of All Evil: The Virus of Faith, de Richard Dawkins

Religulous, de Bill Maher (legendado em espanhol)

Here be dragons, de Brian Dunning

Privatizing the World  (problemas com o link em 23/01/2014)

Propriedade intelectual, cópia, Remix, plágio, …:

Good Copy Bad Copy , de Girl Talk / Gregg Gillis (problemas com o link 23/01/2014)

RIP: A Remix Manifesto

¡Copiad Malditos!, de  Stéphane M. Grueso

História da informática, da Internet, …:

Computer Networks The Heralds Of Resource Sharing

Pirates of Silicon Valley

The Truth According To Wikipedia, de IJsbrand van Veelen

Google: Behind the Screen, de IJsbrand van Veelen (aqui, versão dobrada em espanhol)

Revolution OS, de J. T. S. Moore

Startup.com, de Jehane Noujaim & Chris Hegedus.

Uma verdadeira ferramenta de trabalho, sem dúvida. Por essa razão, porque o queria utilizar para trabalhar, acabei por optar pela versão tablet (Galaxy Note 10.1) em vez da versão “smartablet” (com o mais recente Galaxy Note II), pequeno de mais para trabalhar com ele de forma regular.

O reconhecimento de escrita manual (em qualquer língua) superou, e muito, as minhas expectativas. O reconhecimento de voz (em português) ficou bem aquém do que esperava (sim, também experimentei com outros sotaques, para além do meu, do Além-Minho). Mas, a verdade é que não costumo ditar(-me) textos.

Há anos que esperava poder usar um tablet para escrever os meus textos (também os textos longos), as minhas apresentações, os meus e-mails e mensagens, etc.  sem ter que usar um teclado, como um verdadeiro caderno de notas.

O Ipad? Escrever com o dedo? Não, obrigado. Mas afinal também não foi o Windows 8 en tablet.

Espero que o meu Galaxy Note venha substituir o lápis e o papel que tenho sempre ao meu lado direito na minha mesa de trabalho.

Galaxy Note 10.1 – Handwriting panel demo

É mais difícil para mim ordenar as ideias que estou a tentar exprimir (ou até pensar noutra coisa ou acompanhar alguém que me está a falar) enquanto estou a escrever num teclado do que quando estou tomar notas com papel e caneta.

Há anos que procuro uma solução que me permita tomar notas manualmente e que essas notas sejam reconhecidas como texto digitalizado. Já quando comprei a minha primeira PDA, essa era uma das caraterísticas que procurava, o reconhecimento de escrita manual.

Estava à espera dos Windows RT, mas parece que afinal não vão incluir reconhecimento de escrita manual.

Parece que a solução está a chegar da mão dos Samsung Galaxy Note: versão tablet (Galaxy Note 10.1) ou versão híbrido “smartablet” (com o mais recente Galaxy Note II, disponível em Portugal a partir do dia 18 de outubro).

Neste vídeo, que em encontrei em wintablet,  mostram como funciona o reconhecimento de escrita manual e reconhecimento de voz no Samsung Galaxy Note 10.1 (e sem ser em inglês):

Problema: há 789 razões para não comprar um Galaxy Note II!


Building OWL Ontologies Using Protégé 4 (Screencast)

Vale a pena ler o longo artigo (confesso, Nicholas Carr, que tive de me esforçar para o ler completo) de David Lowery intitulado “Meet the new boss, worse than the old boss?“ (a que cheguei via Blog de Enrique Dans: La música y la red: nadie dijo que fuese a ser fácil).
Isto é que são argumentos inteligentes em defesa dos direitos de autor, etc. Isto e o sentido comum. Porque partilhar não tem de ser necessariamente ganhar dinheiro com o trabalho dos outros.
Leitura altamente recomendável (mesmo com um tradutor automático).

Imagem: The Trichordist > Meet The New Boss, Worse Than The Old Boss? -Full Post

Windows XP inside Ubuntu inside OSX Lion

%d bloggers like this: