Linguamática

2 Agosto 2014

Está disponível o 1º número do 6º volume da revista Linguamática

Índice

Geração de Expressões de Referência em Ambientes Virtuais 
(Diego dos Santos Silva, Ivandre Paraboni)

Usando Grades de Entidades na Análise Automática de Coerência Local em Textos Científicos 
(Alison Rafael Polpeta Freitas, Valeria Delisandra Feltrim)

NERP-CRF: uma ferramenta para o reconhecimento de entidades nomeadas por meio de Conditional Random Fields 
(Daniela Oliveira F. do Amaral, Renata Vieira)

Realização de Previsões com Conteúdos Textuais em Português 
(Indira Gandi Mascarenhas de Brito, Bruno Martins)

PoNTE: apontando para corpos de aprendizes de tradução avançados  
(Diana Santos)

PDF Completo @ http://linguamatica.com/linguamatica-v6n1.pdf

Licença Creative Commons 

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Revista Diacrítica (Centro de Estudos Humanísticos; Universidade do Minho) na coleção SciELO Portugal.

Revista Diacrítica na coleção SciELO Portugal

Publicação de

Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho
versão impressa ISSN 0807-8967

Missão

A Revista Diacrítica é o periódico oficial do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho, subdividido em três volumes distintos que preconizam as linhas de ação do Centro de Investigação que lhe é base: Ciências da Literatura, Ciências da Linguagem e Filosofia e Cultura. Submetido a um rigoroso sistema de arbitragem científica e com manifestação internacional, este periódico tem como principal objetivo publicar e divulgar investigação de excelência, tanto nacional como internacional, no seguimento das suas linhas de ação, acolhendo propostas de publicação de colaboradores internos e externos ao CEHUM que se enquadrem nos seus domínios de estudos.

 

http://www.scielo.oces.mctes.pt/scielo.php?script=sci_serial&pid=0807-8967&nrm=iso&rep=&lng=pt

Lynch, Jack (2009). The Lexicographer’s Dilemma: The Evolution of “Proper” English, from Shakespeare to South Park.  Walker Books, p. 157-158 [Kindle Edition]:

… the English language as a set of circles, some concentric, some overlapping. But these were no ordinary circles. “The English language”, he [James A.H. Murray] explained to the Philological Society in 1880,

is not a square with definite sides containing its area; it is a circle, but a circle such as Euclid never contemplated, having as its centre a point which hath many parts, and nowhere bounded by any line called a circumference. It is a spot of colour on a damp surface, which shades away imperceptibly into the surrounding colourlessness; it is an illuminated area in a midnight landscape, whose beams practically end somewhere, though no eye hath beheld the vanishing line.17

At the center, he explained in the preface, is “a nucleus or central mass of many thousand words whose ‘Anglicity’ is unquestioned.” 18 The “Common Words of the language” include both formal and informal words, but all of them are universally recognized as essential parts of the language. It’s hard to say exactly how large this “central mass” is. […]

But while it’s possible to count the most popular words in English, there’s no way to reckon the least popular words, and as you go further from the “nucleus,” their Anglicity becomes less obvious: “there is absolutely no defining line in any direction,” Murray explained; “the circle of the English language has a well-defined centre but no discernible circumference.” Still he knew that the theoretical question would require a pragmatic answer, and that “the lexicographer must . . . ‘draw the line somewhere.’

17. James A.H. Murray, “Ninth Annual Address,” p. 131.

18. James A.H. Murray et al., “General Explanations,” in OED1, 1:XXVII”

James-Murray

Foto: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:James-Murray.jpg#mediaviewer/File:James-Murray.jpg

O Crânio de Castelao

27 Fevereiro 2014

Lançamento do livro O crânio de Castelao

Local: Biblioteca Geral da Universidade do Minho, Campus de Gualtar, Braga
Dia: 27 de Fevereiro de 2014
Hora: 18h

Na sessão de apresentação do livro na Universidade do Minho estarão os autores Carlos Quiroga (coordenador do livro), Miguel R. Penas, Xemma Tendim, Montse Dopico e Quico Cadaval.

Organização:
Centro de Estudos Galegos
Área de Estudos Espanhóis e Hispano-Americanos
Instituto de Letras e Ciências Humanas
Universidade do Minho.

O Crânio de Castelao, na imperdível.net (13 €)

___________________

o-cranio-de-castelao-250x355

“Romance policial cuja ação se desenvolve em torno ao roubo da caveira de Castelao do Panteão de Galegos Ilustres e que leva o protagonista a uma viagem por quatro continentes na procura da “relíquia” desaparecida. Projeto que nasceu no encontro internacional Galego no Mundo. Latim em pó que decorreu em Santiago de Compostela inserido na programação da Capital Europeia da Cultura no ano 2000.

Depois de o Catedrático de Medicina, o Professor F., envolver o seu discípulo na procura do crânio de Castelao roubado do Panteão de Galegos Ilustres em Compostela, começam uma série de peripécias escritas por Carlos Quiroga (Galiza), Miguel Miranda (Portugal), Antón Lopo (Galiza), Bernardo Ajzenberg (Brasil), Suso de Toro (Galiza), Germano Almeida (Cabo Verde), Quico Cadaval (Galiza), Possidónio Cachapa (Portugal), Xavier Queipo (Galiza), Luís Cardoso (Timor) e Xurxo Souto (Galiza), que levaram o protagonista aos lugares mais inesperados.

Na tarde do 13 de Maio Santiago de Compostela estava já primaveril. Para o lado do Centro de Arte Contemporânea o Parque de Bonaval irradiava a calma do fim de semana, com isolados e vagarosos visitantes. Pelas vidraças baixas do edifício de Álvaro Siza entrava uma luz nimbada que deixava na atmosfera do bar um sossego quente. Na mesa do canto estava sentado P. desde as 17:00 h., com alguma ansiedade mal dissimulada. Aguardava alguém. O Catedrático de Medicina, o Professor F., “orientador” da sua tese de doutoramento, tinha deixado para ele uma mensagem para encontrar-se naquele lugar. E P. consumira um café com impaciência, tratando de imaginar que podia querer o velho catedrático, sem alcançar uma explicação para o motivo da cita nem para a escolha precisamente do Museu.”

Texto e imagem: Através|Editora

Linguamática

22 Janeiro 2014

Está disponível o segundo número do quinto volume da revista Linguamática

Sumário

Prefácio

Editorial

Dossier

imaxin|software – 16 anos desenvolvendo aplicações no campo do processamento da linguagem natural multilingue
José Ramom Pichel Campos, Diego Vázquez Rey, Antonio Fernández Cabezas, Luz Castro Pena

Artigos de Investigação

Desenvolvimento de um recurso léxico com papéis semânticos para o português
Leonardo Zilio, Carlos Ramisch, Maria José Bocorny Finatto
Testuen sinplifikazio automatikoa: arloaren egungo egoera
Itziar Gonzalez-Dios, María Jesús Aranzabe, Arantza Díaz de Ilarraza
Hacia un tratamiento computacional del Aktionsart
Juan Aparicio, Irene Castellón, Marta Coll-Florit

Novas Perspectivas

La subjetivización del de que en el español de Colombia
Matías Guzmán Naranjo
Hacia un modelo computacional unificado del lenguaje natural
Benjamín Ramírez González

Licença Creative Commons 
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Para My Wish List:

Woolard, G. (2013) Messaging: Beyond a Lexical Approach in ELT.
Captura de ecrã 2013-05-21, às 18.40.58

Se quiser comprar, para o meu kindle, o livro de Javier Celaya  La empresa en la web 2.0. El impacto de las redes sociales y las nuevas formas de comunicación online, só posso fazê-lo na Amazon.com ($6.23), porque, devido às  restrições geográficas, na Amazon.es (EUR 0,94) só está disponível para residentes em Espanha.
Para além de que preferiria pagar os impostos neste lado do Atlântico, na Amazon.com tenho que pagar bem mais caro:


%d bloggers like this: