Percebo que WordPress.com coloque publicidade no meu blog para ganhar dinheiro.
Eu até não desgosto da publicidade dirigida e estaria disposto a apoiar a empresa anunciadora e a qualidade do anúncio (clicando, por exemplo, num “gosto”) ou o produto anunciado (clicando no próprio anúncio).
Mas uma coisa é colocar publicidade de maneira discreta e outra é este abuso que podem ver abaixo nas duas capturas de ecrã: blocos que ocupa uma parte importante do post, interpondo-se entre o conteúdo e os ícones das redes sociais.
Parece-me uma falta de respeito e é motivo suficiente para procurar outra plataforma com práticas menos intrusivas.
Uma boa maneira de matar a galinha dos ovos de ouro.

publicidade WP

publicidade WP2

Os dois Google Doodles que me aparecem hoje no computador:

Dia de Portugal:

Screen Shot 2013-06-10 at 11.55.10

Maurice Sendak:

Screen Shot 2013-06-10 at 12.12.18

Os números de 2012

4 Janeiro 2013

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um excerto:

600 people reached the top of Mt. Everest in 2012. This blog got about 12.000 views in 2012. If every person who reached the top of Mt. Everest viewed this blog, it would have taken 20 years to get that many views.

Clique aqui para ver o relatório completo

Nelson Mandela Centre of Memory

Via Expresso: Arquivos de Nelson Mandela chegam à Net

Say No to ACTA

11 Fevereiro 2012

the English Wikipedia will be blacked out globally to protest SOPA and PIPA

English Wikipedia anti-SOPA blackout

Os números de 2011

1 Janeiro 2012

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um excerto:

A sala de concertos da Ópera de Sydney tem uma capacidade de 2.700 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 10.000 vezes em 2011. Se fosse a sala de concertos, eram precisos 4 concertos egostados para sentar essas pessoas todas.

Clique aqui para ver o relatório completo

Há um par de meses, descobri no Blog de libros y bitios (em De imagen a imagen vía Google), de José Antonio Millán, um possível uso do serviço de detecção de imagens semelhantes do Google imagens: localizar imagens reutilizadas.
No Google imagens podemos obter imagens semelhantes arrastando e soltando uma imagem na janela de pesquisa (ou escrevendo o endereço URL de uma imagem da Web).
José Antonio Millán experimentou com uma fotografia dele de 2003 de uma instalação de Alicia Martin, e que publicou no Blog de libros y bitiosUniversal inundación de libros») em 2006. Millán detectou a fotografia em mais de um milhar de sites, dos quais praticamente nenhum citava a autoria da obra e da fotografia, a licença com que foi publicada ou a página de onde ela foi tirada.
Fiz a mesma experiência com esta foto de um ouriço-cacheiro:

publicada, em junho de 2008, neste blog, no Flikr e no Wikimedia Commons.

O resultado foi que dos mais de trinta resultados do Google (aproximadamente, pois alguns eram repetidos), apenas três sítios indicavam a fonte da imagem.
Algumas das páginas eram claramente trabalhos escolares feitos por estudantes que, provavelmente, ninguém ensinou a citar fontes e, mais importante ainda, que isso enriqueceria o seu trabalho.

Packrati.us (que descubro via Libros y bitios >  El nuevo Delicious +Twitter) é uma ferramenta gratuita que transforma os nossos tweets com links em entradas de Delicious (uma ferramenta para arquivar, catalogar e partilhar os sites preferidos).

Perguntava-me, em setembro, se  Steve Chen e Chad Hurley iriam conseguir trazer de volta Delicious. A verdade é que a minha conta (debuxos) de  delicious, que criei em 2006 (ano em que os agora donos venderam o Youtube a Google),  está um bocado abandonada.

Talvez Packrati.us  venha dar uma mão.

Delicious foi muito importante para o uso folksonomias, que  podem chegar a ser potentes ferramentas e que são, para o meu gosto, muito mais interessantes do que as hashtags (palavras-chave antecedidas pelo símbolo “#” usadas no Twitter) de que nunca acabei de gostar.

Mais informação aqui.

1. Tens coisas para fazer;
2. Vais buscar um café;
3. Dás uma vista de olhos ao e-mail
4. Dás uma vista de olhos aos e-jornais
5. Entras no Facebook;
6. Twittas;
7. Ves conteúdos na Web;
8. Vês o teu Wall no Facebook/Google+ e o dos teus amigos
9. Vais buscar outro café
10. Vês o teu Timeline
11. Vês um vídeo que twittaram
12. Carregas esse vídeo no Facebook/Google+
13. Reparas que ainda não fizeste nada
14. Tens coisas para fazer;
15. Vais buscar outro café;
16. Dás uma vista de olhos ao e-mail
17. Dás uma vista de olhos aos e-jornais
18. Entras no Facebook;
19. Twittas;
20. Ves conteúdos na Web;
21. Vês o teu Wall no Facebook/Google+ e o dos teus amigos
22. Vais buscar outro café
23. Vês a tua Timeline no Twitter
24. Vês um vídeo que twittaram
25. Carregas esse vídeo no Facebook/Google+
26. Reparas que ainda não fizeste nada
27. Vais buscar outro café
28 …

Fonte: El espíritu de los cínicos > El Ciclo de la Procrastinación

%d bloggers like this: