solstício de verão

23 Junho 2012

boas sardinhas!

Imagem: Wikipedia Por Jose Pereira  Copyright: GFDL Publicada por/Publish by: Jose Pereira (http://www.jpereira.net) [GFDL (http://www.gnu.org/copyleft/fdl.html) undefined CC-BY-SA-3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/)%5D

Anúncios

Lembrei-me disto a propósito da “folga convocada nas concas mineiras de Asturias e León” que li na imprensa.
Mas a cereja no topo do bolo foi “a outra cousa, borboleta” (‘mudando de assunto’), ouvido no rádio do carro a caminho de Santiago de Compostela (cf. a expressão castelhana “a otra cosa, mariposa”).
Alguns exemplos:

celebrar una reunión  celebrar unha reunión (realizar uma reunião)
el abajo firmante  o abaixo asinante (o abaixo assinado)
el alto el fuego  o alto o fogo (o cessar-fogo)
en la cuerda floja  na corda frouxa (na corda bamba)
espantapájaros  espanta-paxaros (espantalho)
fallo del juez  fallo do xuíz (sentença do juiz)
hacer la puñeta  facer a puñeta  (!!) (encher a cabeça)
hacer tiempo que…  facer tempo que… (haver tempo que…)
intereses bancarios  intereses bancarios (juros bancários)
levantar la sesión  levantar a sesión (encerrar a sessão)
ostentar un cargo  ostentar un cargo (ocupar um cargo)
pagar dietas  pagar dietas (pagar ajudas de custo)

 Bom, “to another thing, butterfly”

tradutores para que?

As cigarras do Sul

14 Junho 2012

“… O euro, na prática, foi criado em 1999. Naquele ano, a Alemanha era o terceiro país com mais déficit em conta corrente, e também em 2000. Desde 1991 que não tinha baixado do quinto lugar. Até 1998, nem a Espanha nem a Itália, nem a Grécia estavam entre os países com  maior déficit. Com a introdução do euro, a Alemanha passou a ter um superavit (e a personificar as virtudes do trabalho bem feito), enquanto o Arco Mediterrânico passava a registar grandes desequilíbrios comerciais, que deverão ser compensados com entradas de capital (…).

Por outras palavras, o desequilíbrio Norte-Sul que está a sufocar a Europa não parece apenas uma questão de estrutura económica, produtividade e competitividade (fatores que, em qualquer caso, não devemos ignorar). Ou uma questão de vadios contra trabalhadores. Salvo que qualquer coisa, um vírus estranho, tivesse invertido a estrutura económica e disponibilidade para trabalhar em toda a Europa lá por volta do ano 2000. A outra possibilidade é que uma exigente taxa de câmbio do euro (muito forte em relação ao dólar), combinada com uma política monetária pouco restritiva (quem te viu e quem te vê, BCE) motivasse nos países do Sul da Europa, menos competitivos nas exportações, uma mudança no perfil de crescimento, que passou a centrar-se no consumo e no crédito. Algo que a Alemanha aproveitou para fazer aumentar as suas exportações dentro da Europa. E, como o dinheiro que entra deve sair, foi a Alemanha que emprestou capital para alimentar a máquina creditícia do Sul da Europa.”

Nuño Rodrigo: Blog Lealtad, 1. > Españoles vagos, alemanes trabajadores… ¿seguro? (8 de novembro de 2011)

Para My Wish List:

lo-que-el-cerebro-nos-dice_9788449311567.jpg

“Ramachandran es en muchos aspectos el Paul Broca moderno, el gran neurólogo francés que inició el análisis biológico de las funciones mentales superiores.”    Eric R. Kandel, MD, premio Nobel, autor de  En busca de la memoria: una nueva ciencia de la mente

WikiScore é uma plataforma (semelhante à Wikipedia) para edição cooperativa de partituras. É como o “Distributed Proofreaders” do “Project Gutenberg” mas, desta feita, para partituras.

O projeto, que espera recuperar muitas partituras enterradas nos arquivos, nasce no seio de uma disciplina de informática para musicologia da Universidade do Minho, da responsabilidade dos investigadores José João Almeida e Nuno Oliveira.

A plataforma já está operacional no endereço:

http://natura.di.uminho.pt/wiki-score/doku.php

imagem: WikiScore
PUGNANI, Gaetano, 1731-1798
Demetrio a Rodi [Música manuscrita ] : Dramma per Musica : Rappresentado nel Regio Teatro di Torino nella Primavera del 1789 / Musica del Sig. Maestro Gaetano Pugnani. – Partitura para vozes e orquestra, [entre 1789 e 1820]. – Partitura (1 vol.) ; 223×285 mm. – Partitura encadernada em pastas de cartão com papel de fantasia e lombada em pele.. – I.P.P.C., Fundo do Conde de Redondo, F.C.R. ms 171.1 PTBN: F.C.R. 171

Atualização:

Imagem do facebook da RUM  (Rádio Universitária do Minho):

No PúblicoUniversidade do Minho cria “Wikipedia” para música
No Correio do Minho: Informáticos da UMinho lançam ‘Wikipedia para a música’

Universia Blog Música: Informáticos da UMinho lançam “Wikipedia para a música”

Orquestra Académica da Universidade do Minho
Coro de Alunos da Licenciatura em Música do Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho

Requiem em Dó menor, Op. 23, de João Domingo Bomtempo

Cristiana Oliveira Soprano Soprano
Ana Santos Contralto
João Terleira Tenor
Sérgio Ramos Baixo
Vítor Matos Direção

Guimarães 2012
Capital Europeia da Cultura

Igreja de S. Francisco (Guimarães)
10 de Junho de 2012
21h30

Morgana em Esmelhe

3 Junho 2012

Acabo de ler o novo romance de Begoña Caamaño, Morgana en Esmelle (Vigo, 2012).

Um hino contra a ambição, a soberba, a intriga, a vaidade.

Que prazer cúmplice encontrar nas tuas páginas a também minha admirada Adriana Calcanhotto!

Obrigado, Begonha

Álvaro (Felipe de Amância)

Das memórias de Felipe de Amância
UMA LEMBRANÇA DE ESMELHE

Agora que o meu senhor Dom Merlim dorme plácido a carão da sua ciência e dos seus sete saberes, e quando ainda mantenho nítidas as lembranças, é, se quadra, o momento de falar por fim do acontecido há já tanto tempo em Miranda e do que sempre se me proibiu falar. Não creio que o meu relato possa já produzir mal nenhum ao meu amo. Tão profundo é o seu sono que ninguém de entre nós sabe ao certo se é morte ou repouso, pois, cada dia que passa, os seus brancos cabelos misturam-se mais com a geada pousada na carriça do velho carvalho ao que se arrimou quando decidiu retirar-se a descansar. E ele é cada vez mais difícil atinar onde acaba o humano cabelo e onde começa o arbóreo caroujo”

Begoña Caamaño, Morgana en Esmelhe: primeiras linhas do romance (com uma pequena “adaptação gráfica”)



Imagem: Blog Editorial GalaxiaMorgana en Esmelle

%d bloggers like this: