Lomonossov

30 Dezembro 2011

Exposição sobre o cientista russo Mikhail Vasilyevich Lomonossov na Universidade do Minho (campus de Gualtar, Braga)
De 21-12-2011 a 18-01-2012

A mostra celebra 300 anos do seu nascimento e é promovida pelo Departamento Estudos Germanísticos e Eslavos do Instituto de Letras e Ciências Humanas da UMinho, com parceria da Embaixada da Rússia e da Agencia Federal Russa de Cooperação.
Mikhail Lomonossov (1711-1765) foi historiador, retórico, mecânico, químico, mineralogista, gramático, enciclopedista, artista e poeta.
Descobriu a Lei da Conservação da Massa 14 anos antes de Lavoisier e escreveu a primeira gramática russa.

Imagens: ILCH (Hall do Complexo Pedagógico II, UMinho, campus de Gualtar) e Wikipedia (Mikhail Lomonosov)

Anúncios

Descobri, há pouco tempo, numa das minhas aulas, que a maior parte dos alunos desconhecia o Project Gutenberg.

Podem descarregar e ler livros grátis no Project Gutenberg. Há milhares de ebooks prontos para ler no PC, iPap, Kindle, Sony Reader, iPhone, Android, etc.

Nestas festas (e depois destas festas), ofereça aos seus amigos um link ao seu livro preferido do Project Gutenberg:

Obras em língua portuguesa no catálogo do Project Gutenberg.

Obras en lengua española en el catálogo del Project Gutenberg.

Há mais no Project Gutenberg Ebook Catalog.

Português no Prato é um curso on-line de língua portuguesa destinado aos profissionais do sector turístico e da hotelaria da Galiza.

O curso é gratuito e dá direito a um título emitido pela Consellería de Cultura e Turismo da Junta da Galiza e pela Universidade de Santiago de Compostela.

Prazo de inscrição: de 12 de dezembro até ao dia 8 de janeiro. Número de inscrições limitadas

O curso começa oficialmente no dia 9 de janeiro e finaliza a 17 de fevereiro.

“… Os turistas portugueses são os estrangeiros que mais visitam a Galiza e a Espanha é, em aumento, o destino principal do turismo procedente de Portugal. Não só, a Espanha é o 4º destino mundial do turismo do Brasil, um país emergente que ocupa neste momento o sétimo lugar nas economias mundiais. Para além do mais, a cidade de Santiago de Compostela é um dos destinos preferentes do país com maior número de católicos do mundo.

… Entre a(s) língua(s) que possuímos e as que queremos aprender há uma distância objetiva que temos que percorrer. Neste sentido, os galegos e as galegas temos uma vantagem competitiva no contexto espanhol a respeito da língua portuguesa: com o mesmo investimento, os resultados são muito mais satisfatórios.”
de Português no Prato

Se quiser comprar, para o meu kindle, a tradução espanhola de Go the fuck to sleep, de Adam Mansbach, só posso fazê-lo na  Amazon.com , porque, devido a incompreensíveis (para mim) restrições geográficas, na  Amazon.es só está disponível para residentes em Espanha:

Para além de que preferiria pagar os impostos neste lado do Atlântico, na Amazon.com tenho que pagar 10 % mais caro:

¡Duérmete ya, joder! [Edición Kindle]
Adam Mansbach (Autor), LAURA; MANERO JIMENEZ (Traductor)
Precio Kindle: EUR 6,64


¡Duérmete ya, joder! (Spanish Edition) [Kindle Edition]
Adam Mansbach (Author), LAURA; MANERO JIMENEZ (Translator)
Kindle Price: $9.45

Já agora: Num dos blogs de José António Millán pode dar uma vista de olhos às diferentes traduções do “livro infantil para adultos” Go the fuck to sleep, de Adam Mansbach. Foi daí que tirei a imagem da capa da edição portuguesa Vai Dormir, F*da-se  (Arte Plural Edições):

Christopher Hitchens no programa Pessoal… e Transmissível, de Carlos Vaz Marques de 4 de julho de 2011 (podcast):
“As religiões são escolas de submissão e a ideia de Deus é a fonte de inspiração de todos os ditadores. O autor do livro «deus não é grande», o escritor e polemista Christopher Hitchens, é o convidado ao fim da tarde para a conversa com Carlos Vaz Marques.” (Podcast: Carlos Vaz MarquesPessoal… e Transmissível (4 de julho de 2011)

Foto:  Wikipedia >  Christopher Hitchens

Christopher Hitchens (2009) Deus Não É Grande. Como a religião envenena tudo. Lisboa: Dom Quixote

“Neste eloquente debate com os crentes, Hitchens apresenta argumentos contundentes contra a religião (e a favor de uma abordagem mais laica da vida) através de uma leitura atenta e erudita dos textos religiosos mais importantes.
Hitchens conta a história pessoal dos seus encontros perigosos com a religião e descreve a sua viagem intelectual para uma visão laica da vida, baseada na ciência e na razão, na qual o Céu é substituído pela panorâmica maravilhosa que o telescópio Hubble nos proporciona do universo, e Moisés e o arbusto em chamas dão lugar à beleza e simetria da hélice dupla. «Deus não nos fez«, escreve ele. «Nós fizemos Deus.« Explica que a religião é uma distorção das nossas origens, da nossa natureza e do cosmos. Prejudicamos os nossos filhos – e colocamos o nosso mundo em perigo – ao doutriná-los.”

Do catálogo da Dom Quixote

“We pay some people to be Big Thinkers for us, but mostly they just say things that please people with money.”
By Dave Winer : Why apps are not the future

Sobre autossustentabilidades, empregabilidades e curtoprazismos na Universidade:

Lost causes (por Anthony Grafton)
via Erin McKean ( @emckean )

 

%d bloggers like this: