Sobre ebooks, hiperlinks e outros efeitos especiais

17 Outubro 2010

Sobre o presumível valor das hiperligações, conteúdos multimédia e outros “efeitos especiais” nos livros em formato electrónico, que, mais ainda desde que sou leitor de ebooks, passei a sentir como “complicação acrescentada”, mais do que como “valor acrescentado”, encontrei este interessante comentário de Juan Luis Chulilla (de Tinta-e) no também interessante post Ignorancia racional, enhanced ebooks y jóvenes autores, de Fran Ontanaya :

“La novela (o puestos, la monografía) es un tipo de contenido maduro desde hace siglos en tanto que formato. El que lee novela lo hace porque el formato le satisface, porque su imaginación se traslada lenta conforme la lectura progresa. Ese ritmo y ese esfuerzo de imaginación chocan con alicia en el país de las maravillas danzando en la pantalla.”

Advertisements

3 Responses to “Sobre ebooks, hiperlinks e outros efeitos especiais”


  1. Moito obrigado pela referencia, Álvaro. Lo mejor es que esos intentos de re-inventar el libro no son nuevos, y que, para sobrevivir, el libro tiene que diferenciarse de su competencia mediática.


  2. Certo. Há tempo também se dizia que os livros nao iam sobreviver se nao continham centos de imagens e desenhos a cada poucas páginas. O livro tinha de ser ilustrado ou nao poderia competir com a banda desenhada e a televisao.

    Mas temos exemplos como a Saga Twighligh e outros que triunfam entre os mais jovens apesar do formato literário tradicional, e com capas nas ediçoes originais que nao eram muito atractivas.

    • alvaroiriarte Says:

      É verdade, SuperSantiEgo, foi graças à saga Twighligh que a minha filha descobriu o prazer da leitura.


Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: