O Parlament de Catalunya está a discutir a abolição das touradas na Catalunha

5 Março 2010

“… eu, que sou contra a tourada, percebo de tourada. … os espancamentos com sacos de areia para debilitar o animal prisioneiro, os longos jejuns, substituídos pouco antes da fiesta por uma comida excessiva para o touro se sentir cansado, a técnica de, com o capote,  fazê-lo dar várias voltas à arena para esgotá-lo… Se algum leitor for à praça, peço-lhe para observar o esgotamento do animal e a maneira de ele respirar. Isso antes de começar.

Vi as bandarilhas, tive-as na mão, senti-as. Quem pagar por ver como espetam isso num ser vivo e nobre deveria pedir perdão à sua consciência e pedir perdão a Deus. Quem é que se atreve a dizer que isso no destroça? Quem é que se atreve a dizer que isso no causa dor? Mas, claro, o toureiro, isto é, o artista precisa de proteger-se. A farpa rompe os músculos do pescoço do touro, e a partir daí o animal não pode virar a cabeça. Apenas consegue arremeter de frente. Desta maneira, o famoso sabe por onde vão passar os chifres e encostar-se assim como um herói, sujando-se com o sangue do lombo do animal para maior glória da sua valentia e da sua arte.

Francisco González Ledesma (05/03/2010): La memoria del llanto (El País)

O Parlament de Catalunya está a discutir a abolição das touradas na Catalunha:

El País: Toros en Cataluña: segundo aviso

Wikipédia: Corrida de torosCartel de inauguración de la Plaza de Toros de Las Arenas (Barcelona)
Anúncios

One Response to “O Parlament de Catalunya está a discutir a abolição das touradas na Catalunha”

  1. alvaroiriarte Says:

    Esqueci-me de referir que a tradução é minha.


Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: