Livros vs. ecrã

13 Abril 2008

«…A leitura no ecrã é fragmentada, segmentada e fragmentária uma vez que todos os textos electrónicos, seja qual for o seu género, se tornam bancos de dados de onde se extraem fragmentos sem remeter este fragmento para a totalidade da que foi extraído. A partir de este momento pode ver-se no funcionamento dos bancos de dados que as pessoas extraem informação sem se preocupar por esta totalidade de onde procede.»

Fonte: Roger Chartier “La utopía de la biblioteca universal es posible” (entrevistado por en Carlos Suboskyvia para Clarín.com)

via: El futuro del libro > Chartier: la utopía de la biblioteca universal es posible

%d bloggers like this: