Proponho um projecto de dissertação de mestrado sobre dicionários orientados ao conceito (dicionários onamisológicos, tesauros, dicionários ideológicos, dicionários de sinónimos, etc.), estruturas conceptuais, ontologias, etc. em que seriam também estudados os próprios conceitos de “referente”, “conceito”, “universos de referência”, etc. , assim como os mecanismos linguísticos e retóricos utilizados no acto de referência. e as relações que se estabelecem entre os mecanismos de “intensionalização” (de “textualização”) do referente (relações de sinonímia, meronímia, hiponímia, etc.)
Ao reflectir sobre a questão da partilha dos “universos de referência”, sobre a “empatia”, entendida como capacidade dos interlocutores de instituir e partilhar universos de referência, lembrei-me de um excelente livro (de 1989! Como o tempo passa!):

Frith, Uta (1989) Autism. Explaining the Enigma. Trad. espanhola na Biblioteca Geral da Universidade do Minho: (1991) Autismo. Hacia una explicación del enigma. Madrid: Alianza.

Imagem: http://www.icn.ucl.ac.uk/dev_group/ufrith/publications.htm



“O Futuro dos Documentos Digitais”, no Laboratório Nacional de Engenharia Civil, em Lisboa.

Fonte: BITITES

… a coisa vai mudando:
Os romances finalistas do Booker Prize, o mais importante prémio literário inglês, ficarão disponíveis brevemente na Internet.
… pois… os eventuais downloads dos livros da Internet não terão um grande impacto nas vendas e que, se algum dos textos agradar aos internautas, é possível que alguns destes decidam comprar o volume impresso.

Fonte RUM

vd., aqui mesmo, Piratas? Devagarinho, mas…

Ubuntu 7.10

21 Outubro 2007


Já tenho instalado o novo Ubuntu Gutsy Gibbson (7.10)
Agora pode-se, por exemplo:
– configurar dois monitores em simultâneo;
– ligar a impressora e esta é logo detectada e configurada imediatamente;
– se a metade do nosso disco for Windows, podemos ler e gravar nessa outra metade (na imagem, o ícone no canto superior esquerdo), sem ter de montá-la de maneira especial;
idem com discos externos;
– etc.
Pode-se descarregar na página de ubuntu (ou também gravar um Live CD com que podemos testar o ubuntu sem ter de instalá-lo primeiro).

POR SERVIÇOS PÚBLICOS DE ALTA QUALIDADE E ACESSÍVEIS A TODOS

JUNTOS, EXIGIMOS SERVIÇOS PÚBLICOS QUE VÃO AO ENCONTRO DAS NECESSIDADES DAS PESSOAS E APELAMOS À COMISSÃO EUROPEIA QUE FAÇA PROGREDIR A LEGISLAÇÃO EUROPEIA.

EU ASSINO A PETIÇÃO.

Os serviços públicos são essenciais para a coesão social, económica e regional na Europa. Estes serviços devem ser de alta qualidade e acessíveis a toda a população. Até agora, as únicas opções para o desenvolvimento dos serviços públicos foram a privatização ou liberalização (nomeadamente em sectores como a Energia, os Correios e as Telecomunicações). É tempo de encontrar soluções diferentes!

Por estas razões, apelamos à Comissão Europeia para que proponha uma Legislação Europeia para os Serviços Públicos visando:

- Dar prioridade ao interesse geral, consubstanciado nos serviços públicos;
- Garantir que toda a população tenha acesso aos serviços públicos;
- Reforçar os serviços públicos de forma a garantir os direitos fundamentais dos cidadãos;
- Garantir mais segurança legal, de forma a permitir o desenvolvimento sustentável das missões dos serviços públicos;
- Confiar aos serviços públicos uma base legal sólida e, deste modo, imune em relação aos ataques ideológicos do mercado livre.

fonte: http://www.petitionpublicservice.eu/pt

Dicionário Aberto

18 Outubro 2007

No projecto Dicionario Aberto podemos aceder livremente ao Novo Diccionário da Língua Portuguesa Candido de Figueiredo – 1913, o dicionário mais actualizado e em domínio público, disponível na Biblioteca Nacional.
A ideia de rever um dicionário, tornando-o disponível na internet, partiu de Alberto Simões [Projecto Natura] da Universidade do Minho, enquadrado no Distributed Proofreaders.

Este projecto possibilita a revisão de livros em domínio público, disponibilizando as imagens digitalizadas de livros e a sua respectiva reprodução em OCR. No caso do Dicionário Aberto, foi a Biblioteca Nacional que disponibilizou as imagens através da Biblioteca Nacional Digital.

O projecto Distributed Proofreaders faz parte do Projeto Gutenberg .

Encontro em Assim Mesmo uma referência ao Dicionário de Aprendizagem Português-Espanhol elaborado sob a direcção de Philippe Humblé e Rafael Camorlinga, professores na Universidade Federal de Santa Catarina, com 25.000 frases em português brasileiro traduzidas para o espanhol (e, ocasionalmente, frases do espanhol traduzidas para o português).

“A democracia real ganha com a existência de contradições. As unanimidades beneficiam apenas quem as controla.”

Javier Ortiz: Apuntes del Natural: Patrias, reyes y banderas

Parece que a 3ª edição do Diccionario de Uso del Español de Maria Moliner sai apenas em formato papel (para já?).
Sendo assim, continuarei com a minha 2ª edição em formato electrónico.
É evidente que as potencialidades de um dicionário em formato electrónico são muito maiores do que em papel. Por exemplo, a versão em cd-rom do dicionário de María Moliner, permite:
– procurar por semelhança fonético-ortográfica;
– procurar expressões regulares;
– procurar palavras incompletas;
– procurar um lema a partir de qualquer forma da palavra;
– procurar nos índices alfabéticos e inversos;
– outras formas avançadas de pesquisa;
– a navegação em hipertexto (clicar nas palavras da definição para aceder ao artigo correspondente);
– conjugar verbos;
– a pesquisa a partir de um processador de textos, navegadores de Internet ou programas de correio electrónico
– etc.
Oxalá esteja enganado e possa rectificar esta entrada e dizer que está disponível a 3ª edição em formato digital.
!– @page { margin: 2cm } P { margin-bottom: 0.21cm } –>

Diccionario María Moliner

14 Outubro 2007

Acaba de ser publicada a 3ª edição do Diccionario de uso del español, de María Moliner.
O Dicionário de María Moliner (faço questão de o citar, sempre que possível, assim, pelo nome da autora) continua a ser, para mim, um dos melhores dicionários de espanhol.
Com motivo do 40º aniversário da publicação da 1ª edição do dicionário (1966-67), sai à luz esta terceira edição.
Algumas actualizações:
– Mais de 90.000 entradas e 190.000 acepções e sub-acepções
– Actualização de blocos de sinónimos e “catálogos” (listagens de expressões de significado afim ou relacionado).
– Revisão dos apêndices de nomes botânicos e zoológicos e de desenvolvimentos gramaticais.
– Dois novos apêndices: um de topónimos e de gentílicos, formado por duas listas de, aproximadamente, 6.000 registos cada uma; e outro de abreviaturas y de símbolos de uso geral.
– Alterações tipográficas e outras mudanças formais que facilitam a leitura e a consulta.

————————————–
MOLINER, María. 2007. Diccionario de uso del español, 2 vols. Madrid: Gredos (Tercera edición revisada y actualizada; ISBN:978-84-249-2886-5, Págs: XLVIII + 3.352, dimensiones: 24,5 x 17 cm. Precio: 130 euros)

————————————–
Fonte: Infoling

Foto: Editorial Fredos
%d bloggers like this: