É o auto-ódio, idiota!"

17 Setembro 2007

Há perto de 25 anos, num trabalho para uma cadeira na Faculdade de Filologia de Santiago de Compostela reproduzi o seguinte trecho do Lazarillo de Tormes para ilustrar o conceito de auto-ódio.

Dedico-o agora a Ferreira Fernandes, que “mordeu a própria língua” com a publicação de MODERNICES FILHAS DE REACCIONÁRIOS no Diário de Notícias.

“…

De manera que, continuando la posada y conversación, mi madre vino a darme un negrito muy bonito, el cual yo brincaba y ayudaba a calentar.

Y acuérdome que, estando el negro de mi padrastro trebejando con el mozuelo, como veía a mi madre y a mí blancos y a él no, huía de él, con miedo, para mi madre, y, señalando con el dedo, decía: «¡Madre, coco!»

Respondió el riendo: «¡Hideputa!»

Yo, aunque bien muchacho, noté aquella palabra de mi hermanico y dije entre mí: »Cuántos debe de haber en el mundo que huyen de otros porque no se ven a sí mismos!

…»

Anónimo (1554?) La vida de Lazarillo de Tormes y de sus fortunas y adversidades.

(via Portal Galego da Língua: A ‘blogosfera’ galega e portuguesa indignam-se com Ferreira Fernandes)

Anúncios

A canalha

7 Setembro 2007

“A canalha não é o povo. A canalha é a caricatura do povo para a televisão. São os que se juntam à saída de interrogatórios e julgamentos para insultar quem está na mó de baixo. Trata-se da mais abjecta espécie de cobardes. É provável que alguns tenham chorado a sorte da Madeleine McCann como se fosse alguém da família. Não, não é compaixão. Vivem a vida dos outros como se vive uma novela. São tudo personagens, motivo de conversa, uma forma de passar o tempo. Amanhã já se esqueceram. Mas hoje insultam os vilões do momento.”
A Canalha , no Arrastão

“O seu projecto [neoliberal , de debilitamento do Estado] foi ajudado pelas ideias provenientes de um sector muito diferente. Os movimentos revolucionários de 1968 também procuraram maiores liberdades individuais, e muitos dos “soixante-huitards” viram o Estado como seu opressor. Como Harvey [A Brief History of Neoliberalism ] mostra, os neoliberais adoptaram a mesma linguagem e ideias. Alguns dos anarquistas que conheço ainda proclamam noções quase idênticas às dos neoliberais: a intenção é diferente; mas as consequências, muito semelhantes.

…”

George Monbiot (2007) “How Did We Get Into This Mess?“ (em Monbiot.com, acedido em 2007/09/07)

Publicado no The Guardian (28th August 2007)

Via fírgoa: ¿Cómo hemos llegado a este desastre? (acedido em 2007/09/07)
Traducido para o espanhol por Félix Nieto para Globalízate

O que andei a ouvir

2 Setembro 2007

table.lfmWidgetff203064f49b636b820502a8928cd411 td {margin:0 !important;padding:0 !important;border:0 !important;}table.lfmWidgetff203064f49b636b820502a8928cd411 tr.lfmHead a:hover {background:url(http://cdn.last.fm/widgets/images/pt/header/chart/topartists_regular_red.png) no-repeat 0 0 !important;}table.lfmWidgetff203064f49b636b820502a8928cd411 tr.lfmEmbed object {float:left;}table.lfmWidgetff203064f49b636b820502a8928cd411 tr.lfmFoot td.lfmConfig a:hover {background:url(http://cdn.last.fm/widgets/images/pt/footer/red.png) no-repeat 0px 0 !important;;}table.lfmWidgetff203064f49b636b820502a8928cd411 tr.lfmFoot td.lfmView a:hover {background:url(http://cdn.last.fm/widgets/images/pt/footer/red.png) no-repeat -85px 0 !important;}table.lfmWidgetff203064f49b636b820502a8928cd411 tr.lfmFoot td.lfmPopup a:hover {background:url(http://cdn.last.fm/widgets/images/pt/footer/red.png) no-repeat -159px 0 !important;}

%d bloggers like this: