Passei definitivamente para o Mozilla Firefox (antes usava-o esporadicamente). Com as extensões, é muito bom. Um exemplo: estou a escrever este post directamente da minha página inicial (sem entrar no blog!).
Leio em Barrapunto:
“pobrecito hablador nos cuenta: «En Fresqui han traducido la siguiente entrada: Linux: A European threat to our computers en “Linux es el cancer de América” artículo que, aunque fue escrito por su autora completamente en serio, no puede más que causar risa en cualquier persona cuerda que lo lea. Creo incluso que, dado el extremismo con el que se trata el tema, seguramente el artículo acaba causando el efecto contrarío al que busca. Frases como “Osama utiliza Linux porque esta diseñado para piratear DVDs, para saltarse el Acta de Copyright Digital y para defraudar a compañías como Disney” son solo una pequeña muestra de alguno de los argumentos en contra de Linux a la vez que del trastorno mental de su autor… Pueden leer la traducción completa aquí.» También aparece citado en meneame.”

Definitivamente, se alguém me confirmar que, com algum emulador, consigo executar em Linux os meus dicionários (DRAE, Maria Moliner, Porto Editora, Houaiss, Aurélio, Harrap’s, todos editados para Windows, e dos quais não posso prescindir), este fim-de-semana mesmo instalo Linux no meu computador!

Moisés Martins na apresentação da candidatura: “Um Reitor não é um senhor do Paço”
“Caros docentes, funcionários e alunos, um Reitor não deve ser, antes e mais nada, um senhor do Paço, nem o gestor de uma máquina administrativa, de costas voltadas para a Academia. Deve ser, sim, um académico. E, como académico, o Reitor deve ser um habitante do campus universitário, deve viver e sentir os problemas e as alegrias dos docentes, os problemas e as alegrias dos alunos, os problemas e as alegrias dos funcionários”.Foi este o tom da intervenção de abertura do Prof. Moisés de Lemos Martins, na sessão de apresentação da sua candidatura a Reitor da Universidade. Uma sessão amplamente participada – a sala estava repleta – e que não serviu apenas para o candidato debitar um discurso. A maior parte do tempo foi ocupada com as questões apresentadas pelos presentes. Temas como o processo de Bolonha, o método de eleição do Reitor, a vida cultural e a animação dos campi, a acção social e as unidades culturais foram algumas das questões apresentadas e debatidas.Na sessão foi anunciada uma nova jornada, desta vez no campus de Azurém, na qual o candidato conta já apresentar a sua equipa de vice-reitores e pró-reitores. Essa sessão terá lugar no próximo dia 4 de Maio, quinta-feira, às 16 horas.
Do “Diário de Campanha” do candidato: http://universidadeplural.blogspot.com/

Pelo jornal Público de ontem soubemos a notícia de que, durante as próximas semanas, os portugueses que tenham descarregado música ilegalmente na Internet “serão convidados” a pagar una indemnização por violação dos direitos de autor, ou enfrentarão um processo judicial (notícia e comentários também no Gíldot). Ocorrem-me algumas perguntas:
– Como é que uma empresa privada sabe quem descarrega música de Internet ilegalmente?
– Podem estar as minhas comunicações (sejam do tipo que forem) “sob escuta” sem a autorização de um juiz?
– Pode uma empresa privada ter acesso aos registos das minhas comunicações?
– A nova lei europeia sobre retenção de dados permite tudo isto?
– Pode uma empresa privada “convidar directamente alguém a pagar uma indemnização”?

Gripe aviar

1 Abril 2006

para barrapunto 01/04/2006:
Por varios medios (DigitalPMfarma, DiscoveryDSalud, esta última por ahora sólo en la versión en papel) me ha llegado la noticia de que pueden estar oscuros intereses por detrás de la alarma social provocada por la amenaza de pandemia de la gripe aviar (a la que se destinan millones de euros para la compra de Tamiflu, un medicamento sobre el que se levantan sospechas). Sin querer poner en entredicho las fuentes referidas y, ante reservas como las levantadas por el propio presidente de la Sociedad Española de Epidemiología, Ildefonso Hernández-Aguado, o el científico Manuel Elkin Patarroyo, (algo más que reservas de Manuel Elkin Patarroyo en el semanario A Nosa Terra) no merecería la pena difundir y contrastar estas informaciones?
%d bloggers like this: